Israel quer ter seu próprio potencial cibernético

Enquanto o Irã trabalha incansavelmente produzindo urânio enriquecido nas suas usinas para tentar destruir o mundo, o Governo de Israel anunciou planos para novas tecnologias bélicas, baseadas em redes e softwares.

O General Amos Yadlin, chefe da inteligência militar israelense, afirmou que o país já tem capacidade de criar, e pretende desenvolver mais ainda, segurança para suas redes e elaborar ataques virtuais. Embora não cite investimentos nem alvos (mas é claro que o projeto é uma boa tentativa de defesa e contra-ataque aos radicais islâmicos e iranianos), Yadlin confirma que já há pessoas trabalhando em projetos do tipo, assim como os britânicos e os norte-americanos já tem seus setores para ciberguerra.

Israel: iniciativa em defesa cibernética

É uma iniciativa inteiramente azul e branca  e não depende de ajuda ou tecnologia do exterior. É um campo muito bem conhecido entre jovens israelenses, em um país que recentemente recebeu o título de nação de start-ups, afirma Yadlin.

Estamos vendo a evolução da indústria bélica. Não vai demorar mais que algumas décadas para termos campos lotados de andróides se destruindo, reconstruindo, e se destruindo… nos preparemos, humanos.

Siga pelo RSS:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s